Escapadinha de fim de tarde…

Num Fevereiro chuvoso, nada melhor que uma amena e soalheira tarde de Sábado, com ares tímidos de Primavera, para dar uma volta pela baixa do Porto! Com o entardecer a chegar rapidamente, o passeio é curto, pouco mais de uma hora. E sem temas predefinidos, fui fotografando o que me chamou mais a atenção, aproveitando a luz rasante que tudo modifica e realça o que, pouco tempo antes, parecia banal. Para estas curtas investidas, costumo utilizar os 2 corpos Pentax

Continuar a ler...

E a Costa Nova?!…

Confesso que já lá tinha estado há muitos, muitos anos. Mas quantos?… Lembro-me de ter lá ido num passeio de família numa tarde solarenga de Domingo, que usei a máquina que tinha na altura, a Pentax Super A e até experimentei uma lente que tinha recentemente comprado, a Sigma 400mm f/5.6. E lembro-me ainda de pensar que a melhor altura do dia para fotografar as casas da Costa Nova seria de manhã. Tinha de lá voltar!… Mas há quantos anos tinha

Continuar a ler...

Pentax K-1 II apresentada

Numa típica actualização para um modelo recente (a K-1 é de 2016), a Ricoh apresentou a Pentax K-1 II que sucederá a K-1. As alterações introduzidas na K-1 II podem parecer à primeira vista apenas de pormenor, mas não são, uma vez que a electrónica que está por trás da excelente imagem da K-1 é toda nova: introdução do “acelerador”, já visto na K-70 e KP, permite a K-1 II subir o patamar do ISO máximo para 819.200; introdução do

Continuar a ler...

Regresso à pedreira…

O local escolhido para a sessão fotográfica de modelos merecia que reservássemos uma manhã para explorar todas aquelas texturas e cores. Tivemos uma manhã perfeita, com nuvens a filtrar a luz como se de um enorme difusor se tratasse. Não podíamos ter tido melhor sorte! Utilizei a Pentax 645D com a A* 300 f/4.0, a DA 25mm f/4.0 e, como não pode deixar de ser, a FA 120mm f/4.0 Macro. Todas as fotografias foram tiradas com a máquina no tripé,

Continuar a ler...

Outono na Nova Inglaterra – EUA

Não nego que as expectativas eram altas. Visitar, em meados de Outubro, a Nova Inglaterra “só” podia resultar em oportunidades fotográficas daquelas que apenas em sonhos nos atrevemos a…sonhar! Mas não! A meteorologia era semelhante à de Portugal nesta mesma altura, com temperaturas na ordem dos 25ºC, céu limpo e sem nuvens. Neste Outono muito tímido, a passagem para aquelas cores vivas e típicas estava ainda muito atrasada e encontravam-se com frequência árvores já a ficarem sem folhas e de

Continuar a ler...

Contrastes de Nova Iorque…

Um dos motivos fotográficos que mais me atraem em Nova Iorque é a coexistência de edifícios antigos (até à primeira metade do séc. XX) com os edifícios mais recentes (da segunda metade do séc. XX). Nestes contrastes encontramos as dualidades pequeno/grande, alto/baixo, novo/antigo, colorido/monocromático, luz/sombra, etc. que proporcionam bons motivos fotográficos. Procurei fotografar os edifícios antigos e relativamente baixos junto a edifícios recentes e altíssimos num autêntico duelo entre David e Golias. Os muito elaborados pormenores dos edifícios também me

Continuar a ler...

Interregno…

Apenas para vos dar uma satisfação pela ausência de publicações nas últimas semanas motivada por uma conjugação de factores que, uma vez ultrapassada, nos permitirão retomar a regularidade pretendida. Mas continuamos à procura daquela luz para fotografar o sonho! Sempre!…

Fotografando moda… numa pedreira!

Participei recentemente numa iniciativa muito interessante e desafiante: fotografia de moda numa pedreira! Todo aquele ambiente com texturas únicas permitiram enquadrar os modelos em fundos naturais surpreendentes. Em termos de equipamento utilizei a Pentax 645D e duas lentes de distância focal fixa: DA 25mm f/4.0 e FA 150mm f/2.8 (equiv. a 19,5mm e 120mm em 24×36 respectivamente). Se a escolha da 150mm f/2.8 é óbvia por ser “a” lente de retrato/moda por excelência para o sistema Pentax 645, já a

Continuar a ler...

Fotografia de fogo-de-artifício

Para a grande maioria dos fotógrafos amadores, fotografar o fogo-de-artifício é um dos desafios mais aliciantes e um dos primeiros da lista a serem tentados. Com a informação abundante existente actualmente, grande parte dos “erros de principiante” poderão ser evitados e, quando aparecem, rapidamente superados. As novas funcionalidades disponíveis nas máquinas mais recentes podem ser também atalhos para bons resultados. Por exemplo, a Pentax (desde 2013 com a K-3) oferece o Modo de Composição em Fotografias Sobrepostas e Fotografias com

Continuar a ler...

Site Footer